Leitura Nerd IV - Trapizomba

O que seria do branco se todos gostassem do azul. No caso, o que seria do ocidente se todos gostassem do oriente? Ah, metáforas a parte começamos mais um Leituras Nerds e dessa vez não vou falar de quadrinhos. Vou falar de Mangá! Sim, não se preocupe que ainda falarei muito sobre quadrinhos, minha grande paixão... Até porque devo ter 1 mangá para cada 50 quadrinhos. Então se você não gosta de mangá (Até lhe dou razão na maioria dos casos) convido-lhe a ler para variar Death Note, Love Junkies e... Yu Yu Hakushô! Sim, é do detetive sobrenatural que vou falar hoje.

Yu Yu Hakushô #01 - Dez/1990
幽☆遊☆白書
Yoshihiro Togashi
Editora JBC


Você já deve ter ouvido falar de Yu Yu Hakushô se você viveu nos tempos aureos da rede Manchete. Porém lhe dou alguns bons motivos para conhecer a versão mangá desse anime que foi sucesso por aqui: A história desenhada tem roteiros inéditos. Siiiiiiiiiim!! O mangaka (pessoa que escreve e desenha os mangás) foca o personagem principal, Yusuke Urameshi, em um mundo espitirual com almas penadas em conflitos a serem resolvidos ao invés de cair matando em lutas fodásticas. Há de se dizer que apesar de ser um mangá clássico da Shonen Jump (Editora para meninos cheios de porrada!!), o sucesso da franquia foi seu bom humor bad boy. Embora o surrealismo só tenha alcançado o ápice do non-sense com a dublagem do canal da Bloch o próprio mangá tem todo seu humor colegial ácido cheio de gangues e brigas de Yusuke, o grande bad boy.
Acompanhando a trama do anime o início mostra o garoto encrenqueiro do colégio tento um triste fim ao salvar uma criança de um atropelamento e com isso causando um lapso no mundo espiritual: Nenhuma criatura do mundo do além esperava uma ação benéfica de Urameshi e ele fica no limbo (Não, não a dança havaiana, haha). E com isso as aventuras do protagonista começam ao conhecer Bottan e Koenma Jr. que lhe dão missões (e aqui que separamos crianças de adultos u.u) que são ao mesmo tempo tocantes como também muito engraçadas. É praticamente impossível você rir de uma pessoa que morreu sem ter o encontro com seu amado, mas que o enredo dá uma guinada para um humor totalmente hilariante e nada nada forçado.
Como estou falando apenas do primeiro volume da edição lançada no Brasil, cabe mencionar que também conhecemos Keiko, Kuwabara e a mãe de Yusuke e que em apenas uma edição somos tomados por todos sentimentos possíveis e vemos no menino Urameshi um estereótipo pouco abordado: O anti-herói que tem um excelente coração. Ele gosta de brigar, de jogatina, mas fica louco da vida se alguém mexe com seus queridos familiares e amigos. A história é excelente e achei fantástico a vertente de ele realmente agindo como um detetive espiritual, gostaria de ter visto muito mais desse caminho.  Também tenho que abordar rapidamente o lado taradinho que traz bem de leve piadas muito engraçadas, como o jeito especial que Keiko reconhece o amado.
Como disse no início prefiro gibis, mas hei de concordar com algo: Mangás tem início, meio e fim, não se distorcem personalidades dependendo do autor e da época e o que aconteceu hoje não é esquecido amanhã. Fora o fator criatividade que vai muito mais longe. Recomendo a você muitão que leia esse mangá que está certamente no meu top 5 mangás. E vamos a nota: 94. Mas não poderiamos fazer uma lista com mangás e Comics porque são coisas diferentes, por isso teremos a lista de mangás também:

Comics

#1 - Hulk #38 - 90
#2 - O Homem Aranha #146 - 87
#3 -  Grandes Encontros Marvel & DC #3 - Batman vs O incrível Hulk - 7

Mangás

#1 - Yu Yu Hakushô #1 - 94

Não conheci o outro mundo por querer!!

Toma Rumo Guri!!

2 comentários

Bezerrinha em 15 de junho de 2012 06:13

Ownnnnn >.<
Páreo duro com o mangá do Inu, na minha humilde opinião, mas agora entendi a moral de não poder olhar ontem tu escrevendo, hehe. Amei mor!

=**

Bezerrinha em 15 de junho de 2012 06:13

Tá pensando que isso aqui é Hollywood? =p